Categorias



Saúde reforça necessidade da vacina contra febre amarela

09/08/2019 - Publicado por: Jorge Pedroso - Categoria: Geral - Tags: saude reforca necessidade vacina contra febre amarela

A informação divulgada ontem (8) pela Diretoria de Vigilância Epidemiológica de Santa Catarina de que o macaco recolhido no Rio Cerro II, em junho, morreu por febre amarela confirma a presença do mosquito vetor da doença em Jaraguá do Sul. Por isso, a Secretaria Municipal de Saúde reforça a orientação às pessoas que ainda não estão imunizadas a tomarem a vacina, disponível gratuitamente em postos de saúde com sala de vacinação e na Unidade Básica Central – na Rua Reinoldo Rau, 123, no Centro. É necessário apresentar a carteira de vacina e um documento com foto. Caso a pessoa não tenha a carteira de vacina, ela pode ser feita na hora.

De acordo com a veterinária do Setor de Zoonoses, Cláudia Regina Guebrt, uma equipe da Secretaria de Saúde visitará o proprietário do local onde o primata foi encontrado para informá-lo que o resultado deu positivo e verificar se todos os integrantes da família e seus vizinhos estão vacinados. Ela destaca que os moradores daquela região tinham sido orientados a tomar a vacina na época em que recolheram o animal e suspeitava-se que tivesse morrido por febre amarela.

Cláudia Guebrt lembra que o trabalho de imunização contra a febre amarela em Jaraguá do Sul iniciou em setembro do ano passado, quando equipes da Secretaria de Saúde vacinaram a população rural. Depois disso, uma campanha municipal foi realizada de fevereiro a abril deste ano, resultando em uma cobertura vacinal de 80% da população.

A enfermeira do Programa de Vacinas, Milena Machado, salienta no entanto que o ideal para o índice de cobertura é de 95% dos habitantes. Destacando que a melhor forma de prevenção contra a febre amarela é a vacina, ela orienta quem ainda não tomou a vacinou a procurar um posto de saúde para se vacinar. Milena informa que a vacina é segura é deve ser tomada por pessoas com idade de nove meses a 59 anos. Acima dessa idade, recomenda-se buscar orientação médica.

A dose é única e quem já se vacinou, mesmo que há dez anos ou mais, não precisa mais de imunização. Caso a pessoa não tenha certeza de que está imunizada, pode se dirigir a um posto de saúde para verificar sua situação vacinal.

Macacos não transmitem febre amarela
O óbito de macacos em determinada área é um dos principais indícios de circulação do vírus em matas, servindo como um alerta para as autoridades de saúde adotarem medidas de prevenção, com a vacinação dos moradores da região. Os macacos são como sentinelas para o sistema de vigilância em saúde. A única forma de transmissão do vírus é pela picada de mosquitos – não há transmissão diretamente a partir dos macacos.



 




Jaraguá do Sul - SC - CNPJ: 83.102.459/0001-23 - Rua Walter Marquardt, 1111 - Barra do Rio Molha - 89259-565 - Caixa Postal 421 - Fone: (047) 2106-8000