Categorias



Jaraguá é referência estadual no monitoramento de focos do mosquito

24/02/2016 - Publicado por: Clarissa Borba - Categoria: Saúde - Tags: referencia monitoramento dengue saude 2016

Jaraguá do Sul é referência quando se fala em monitoramento das larvas do mosquito da dengue. A declaração é do coordenador do Programa Municipal de Combate à Dengue, Augusto Poffo, com base nas informações repassadas pelos setores de vigilância em saúde dos outros municípios catarinenses. “Temos um número maior do que o recomendado pelo Programa Nacional de Controle da Dengue no que se refere aos agentes de endemias. A recomendação é que se tenha um agente para cada 6.750 imóveis. Temos 12 agentes para os 74 mil imóveis jaraguaenses, dois a mais do que o exigido”, explica Poffo.

De acordo com o coordenador, Jaraguá do Sul é o único município que conta com três laboratoristas capacitados para identificação larvária, o que facilita o rápido reconhecimento das larvas do mosquito Aedes aegypti, transmissor da dengue, chikungunya e zika. Com isso, ao identificar uma região onde foram encontradas larvas do Aedes, imediatamente a equipe é acionada e faz um trabalho intensivo num raio de 300 metros para eliminar possíveis criadouros do mosquito. “Até o momento, não temos mosquito adulto Aedes aegypti em Jaraguá, justamente por causa desse trabalho efetivo. Mas não podemos descuidar. Para isso, contamos com cada morador de Jaraguá do Sul, cuidando da sua residência e do seu ambiente de trabalho”, ressalta Augusto Poffo.

Outro diferencial da cidade é a inserção de todas as quadras e ruas do município no sistema informatizado da saúde, o que facilita a divisão de trabalho entre os agentes de endemias e a identificação das áreas onde o trabalho precisa ser intensificado, no caso de focos de larvas do mosquito da dengue. “Dessa forma temos em mãos todas as ruas que precisamos visitar e onde vamos orientar os moradores”, explica a agente de endemias Claudineia de Souza.

Ela trabalha na região da Vila Lalau, onde foi encontrado um dos quatro focos de larva positivos para o Aedes. Os outros foram encontrados nos bairros Água Verde, Centenário e Rio da Luz. Em visita a residência do autônomo Diego Inácio, 28 anos, ela constatou que os cuidados são tomados naquele local. Os vasos de plantas não têm pratos, a piscina é tratada com cloro periodicamente, os ralos não têm acúmulo de água. “Sempre recebemos bem a agente de endemias aqui em casa. É importante saber se estamos tomando todos os cuidados. Não queremos o mosquito por aqui”, afirma Inácio.





Monitoramento em Jaraguá

-12 agentes de endemias para 74 mil residências e estabelecimentos – 2 a mais do que o recomendado
-3 laboratoristas capacitadas para identificação larvária – facilita a diferenciação da larva do Aedes aegypti
-São verificadas 130 armadilhas por dia (um pneu cortado ao meio com água parada)
-São verificados periodicamente 150 pontos estratégicos, como cemitérios, borracharias, floriculturas

Características do mosquito da dengue

-Prefere áreas urbanas, já que a albumina presente no sangue humano é mais propícia à reprodução do mosquito do que a albumina animal
-É atraído por suor, chulé, gás carbônico
-Prefere recipientes escuros
-Não faz barulho ao voar
-Tem hábito diurno (pica a pessoa durante o dia)
-Sua picada não dói
-Vive até 40 dias

     




Jaraguá do Sul - SC - CNPJ: 83.102.459/0001-23 - Rua Walter Marquardt, 1111 - Barra do Rio Molha - 89259-565 - Caixa Postal 421 - Fone: (047) 2106-8000