Categorias



Conferência discutiu as propostas locais para a Saúde

01/04/2019 - Publicado por: Rogério Tallini - Categoria: Saúde - Tags: saude conferencia municipal

Jaraguá do Sul promoveu na noite de sexta-feira (29) e sábado (30 de março), a 7ª Conferência Municipal de Saúde, em preparação ao maior evento de participação social no Brasil, que é a 16ª Conferência Nacional de Saúde, programada para os dias 4 a 7 de agosto, em Brasília.

O Centro Empresarial foi o palco dos debates, com a participação dos usuários do SUS, profissionais da área de saúde, gestores e prestadores de serviços, que contribuíram para a formalização do documento com base no tema central Democracia e Saúde: Saúde como direito e consolidação e financiamento do SUS. Duzentas pessoas se inscreveram.

Na noite de sexta-feira (29), aconteceu a abertura da Conferência, onde o prefeito Antídio Aleixo Lunelli lembrou que o serviço SUS é essencial para todos os brasileiros, pela sua universalidade. “Sabemos que é um tema complexo, que não se esgota neste evento”, mencionou, acrescentando os números de atendimentos e investimentos feitos na área da saúde em Jaraguá do Sul. Destacou que em 2018, foram destinados R$ 15 milhões em recursos públicos aos hospitais São José e Jaraguá. Para a atenção básica, foram destinados R$ 59,5 milhões no mesmo período. Lunelli apontou ainda os números de atendimentos prestados, como as 93.438 consultas de especialidades médicas e 66.459 atendimentos em odontologia básica e especializada. Além disso, 688 mil exames de diagnósticos, 305 mil atendimentos em farmácias básica e especializada. “Para este ano, está garantido o investimento de R$ 836 mil nos mutirões de pequenas cirurgias, visando zerar a fila, e contratamos mais quatro médicos, ampliando o quadro para 95 profissionais”, anunciou.

O secretário municipal de Saúde, Alceu Gilmar Moretti, lembrou das conquistas desde a reforma sanitarista no Brasil e que é necessário admitir que os avanços foram reais no que respeito à saúde como direito fundamental. “De modo geral, em que pese as críticas ferozes ao SUS, desde a homologação da Lei 8.080, tenho absoluta convicção de que o sistema público brasileiro de saúde muito mais fez do que deixou de fazer”, disse ele.

Já o presidente do Conselho Municipal de Saúde, Agostinho Zimmermann, deu boas vindas aos conferencistas e abriu oficialmente os trabalhos, depois de ter reforçado a importância de discutir os  rumos da saúde no país e lamentar as condições de ‘sucateamento do SUS’.

Os professores do Programa de Bandas, da Secretaria Municipal de Educação, foram a atração artística da noite de sexta-feira.

Palestra
A noite de abertura da Conferência foi marcada também pela palestra magna, com o Professor Dr. Carlos Eduardo Máximo, Doutor em Psicologia pela Universidade Federal de Santa Catarina. Ele foi conselheiro de saúde por um período de seis anos no município de Itajaí e onde disse ter experimentado as duas perspectivas de quem está na gestão e no controle das ações públicas, já que, em seguida, foi gestor de Saúde Mental na Prefeitura daquele município.
Máximo destacou que todos os brasileiros e mesmo estrangeiros no Brasil são usuários do SUS de alguma forma e citou como exemplo as campanhas nacionais de vacinação, que abrangem toda a população, independentemente se o cidadão possui ou não plano de saúde. Falou sobre a conferência, que é uma obrigação, mas o que a qualifica é participação da sociedade. “E se a gente foi olhar o que aconteceu neste últimos 30 anos até a aplicação da primeira estratégica que consolidou o SUS, é espantoso o número de atendimentos, unidades abertas, profissionais e procedimentos em favor da população”, enfatizou. “E o serviço ainda é desconhecido por muitas pessoas que acham que não tem direito de chegar até ele”. Falou ainda sobre o Programa Mais Médicos, Saúde do Trabalhador, além de outras questões ligadas ao SUS. 


Programação intensa
A manhã de sábado (30), ficou reservada para a leitura do Regimento Interno da 7ª Conferência Municipal de Saúde e as oficinas, com os três eixos temáticos: Saúde como direito; Consolidação dos princípios do Sistema Único de Saúde (SUS); e Financiamento adequado e suficiente para o SUS. No período da tarde, ocorreu a apresentação e discussão das teses da conferência e a escolha para os delegados da etapa estadual da Conferência da Saúde. 
Da Conferência Municipal foram extraídas 42 propostas e nove moções consideradas importantes e que serão apresentadas na Conferência Estadual de Saúde, prevista para acontecer no mesmo de junho, em Florianópolis. Para esta etapa, Jaraguá do Sul definiu os 18 delegados representantes dos usuários, gestores/prestadores de serviços e profissionais.


Algumas das 42 propostas apresentadas:
- Garantir capacitação aos profissionais para acolhimento às pessoas com deficiência (Libras, Braille, QRCode, entre outros);
- Implantar distritos sanitários no município com o objetivo de melhorar o acesso do usuário e controle social;
- Contratação de servidores via concurso público;
- Organização do fluxo, treinamento permanente e integração de novos funcionários e estagiários, padronização das unidades a respeito dos fluxos e protocolos definidos pela Secretaria Municipal de Saúde. 







Jaraguá do Sul - SC - CNPJ: 83.102.459/0001-23 - Rua Walter Marquardt, 1111 - Barra do Rio Molha - 89259-565 - Caixa Postal 421 - Fone: (047) 2106-8000