Categorias



Abrigo do Centro reformado por funcionários da Malwee

10/06/2019 - Publicado por: Jorge Pedroso - Categoria: Social - Tags: abrigo centro reformado funcionarios malwee mutirao

O Abrigo Institucional do Centro recebeu uma ampla reforma realizada no último sábado (8) por um grupo de 110 funcionários da Malwee, engajados em promover uma rede de solidariedade e reforçar a campanha da empresa #Atitudesdobem. O mutirão foi organizado em 20 frentes de trabalho e envolveu reparos como: pintura de toda a casa e dos muros; reforma e pintura dos portões; reforma do parquinho; pintura artística do container (pelos artistas plásticos Fernando Oschler e Lizandra Bona); colocação de toldos; instalação de cobertura na área de lazer; criação de uma horta; reformas internas nos quartos, que ficaram mais aconchegantes. “Além disso, o Abrigo também recebeu uma máquina industrial de lavar roupa, doada pelo presidente do Grupo Malwee, Guilherme Wegee”, informa a secretária de Assistência Social e Habitação, Maria Santin Camello.

De acordo com a secretária, enquanto aconteciam os trabalhos de reforma, as 20 crianças e adolescentes do Abrigo Centro ganharam um dia especial, com passeios na Vila Encantada, em Pomerode, e participação em uma festa junina no Parque Malwee. Ao retornarem à casa, foram recepcionadas em ambiente repleto de novidades e com presentes oferecidos pela empresa e pelos funcionários que participaram do mutirão. Maria Santin acrescenta que algumas pessoas manifestaram interesse em conhecer o Programa Apadrinhamento e o Serviço de Acolhimento em Família Acolhedora.

Abrigos
Destacando que a Secretaria de Assistência Social e Habitação dispõe de dois Abrigos Institucionais – o outro está localizado no bairro Bependi, com 15 abrigados –, Maria Santin explica que esses espaços são instituições voltadas à proteção de crianças e adolescentes encaminhados pela Vara da Família, da Infância e da Juventude devido à violação de seus direitos fundamentais, como situações de abandono ou maus-tratos, por exemplo. Segundo a secretária, a função dos abrigos é garantir proteção integral aos acolhidos, oferecendo a eles ambiente e rotina semelhantes a uma residência normal, dando continuidade de acesso à educação, à saúde e ao lazer.

Este acolhimento pode ser provisório ou de longa permanência, conforme definição judicial. Até que a situação deles tenha uma definição legal – a restituição à família ou encaminhamento para adoção –, todos estão sob a tutela do Estado, sendo esta responsabilidade compartilhada entre Judiciário, Ministério Público e Município. Enquanto a situação não se define, a Secretaria de Assistência Social dispõe de opções a quem deseja oferecer um pouco mais de atenção aos abrigados: o Programa Apadrinhamento de Crianças e Adolescentes em Serviços de Acolhimento; e o Serviço de Acolhimento em Família Acolhedora.

Apadrinhamento
A secretária informa que há três modalidades de apadrinhamento – afetivo; de serviços; material – e a escolha de um deles leva em consideração a necessidade de cada criança e adolescente, assim como a disponibilidade dos padrinhos.

Apadrinhamento Afetivo – Restringe-se às crianças e adolescentes com possibilidades remotas de reinserção familiar e adoção, proporcionando oportunidade de convivência comunitária. Nesta modalidade, padrinho ou madrinha podem buscar afilhado ou afilhada para atividades fora da instituição, mediante assinatura de Termo de Autorização da chefia do Serviço.

Apadrinhamento de Serviços – Esta modalidade é para pessoa física ou jurídica, previamente cadastrado, que deseja disponibilizar sua especialidade profissional – médico, dentista e psicólogo, por exemplo – ao atendimento das crianças e adolescentes acolhidos.

Apadrinhamento Material – Consiste no oferecimento de suporte material ou financeiro à criança ou ao adolescente em acolhimento: roupas, calçados, brinquedos e material escolar, custeio de tratamento de saúde, cursos profissionalizantes e práticas esportivas, entre outras formas de doações.

CADASTRAMENTO – As pessoas interessadas em participar do Programa Apadrinhamento Afetivo devem se cadastrar junta às equipes técnicas do Serviço de Acolhimento. Esses profissionais da Secretaria de Assistência Social realizam uma entrevista com o pretendente e avaliam a possibilidade de cadastramento. Aprovado o cadastro, os técnicos apresentam ao padrinho ou à madrinha o perfil das crianças e adolescentes em acolhimento e, posteriormente, informa o juiz competente sobre o apadrinhamento.

CRITÉRIOS – Para se cadastrar é necessário que o interessado tenha disponibilidade de tempo para participar efetivamente da vida do afilhado ou afilhada, tenha idade superior a 21 anos, participe de reuniões/encontros com a equipe técnica do programa, apresente toda a documentação exigida, consinta visitas técnicas em sua residência e respeite as regras e normas colocadas pelos responsáveis.

Famílias Acolhedoras
A secretária Maria Santin Camello informa que nessa modalidade a criança ou adolescente é recebida no lar de uma das famílias cadastradas, onde não há prazo estipulado para permanecer, podendo ser um dia ou seis meses. O importante, destaca a secretária, é que essa família acolhedora proporcione convivência familiar e comunitária em ambiente sadio para minimizar o sofrimento do acolhido diante da situação em que se encontra. “Cada família cadastrada recebe acompanhamento de uma equipe multidisciplinar e subsídio financeiro no valor de um salário mínimo por criança acolhida”, acrescenta.

Os interessados em se cadastrar no Serviço de Acolhimento em Família Acolhedora devem obedecer os seguintes critérios: residir em Jaraguá do Sul; ser maior de 21 anos (não há restrições quanto a sexo e estado civil); não haver interesse em adoção; ter concordância de todos membros da família, disponibilidade de tempo e interesse para oferecer proteção e amor à criança ou ao adolescente.

Mais informações sobre os serviços de acolhimento podem ser obtidas ligando para 3370-8981 (Abrigo Institucional Centro) ou 3371-0695 (Abrigo Institucional Baependi). O contato também pode ser feito pelo e-mail abrigo.social@jaraguadosul.sc.gov.br.



 




Jaraguá do Sul - SC - CNPJ: 83.102.459/0001-23 - Rua Walter Marquardt, 1111 - Barra do Rio Molha - 89259-565 - Caixa Postal 421 - Fone: (047) 2106-8000